Hospital francês aplicou radiação excessiva em 5.500 pacientes

Pelo menos 5.500 pacientes receberam radiação excessiva em sessões de radioterapia em um hospital de Epinal, no leste da França, entre 1987 e 2006, revelou nesta segunda-feira a ministra francesa da Saúde, Roselyne Bachelot, destacando que foi o acidente mais grave deste tipo já ocorrido no país.

AFP |

A catástrofe, cujo número de vítimas só será conhecido com o tempo, foi resultado de erros persistentes, especialmente no uso dos aparelhos e na formação dos profissionais.

No total, 7.500 pessoas receberam tratamento no serviço de radioterapia de Epinal entre 1987 e 2006, mas cerca de 2 mil não puderam ser contactadas, por falecimento ou mudança de endereço, disse o diretor do hospital Jean-Monnet, Gilbert Hangard.

Entre um grupo de 24 pacientes que receberam doses elevadíssimas de radiação, no tratamento de câncer de prostata, cinco morreram em consequência da radioterapia.

"O que vocês sofreram não pode se repetir. Aprendemos a lição", disse Bachelot a um grupo de 20 afetados em sua visita hoje ao hospital de Epinal, cujo serviço de radioterapia foi reaberto em fevereiro passado.

O material de radioterapia dos 180 centros da França foi "verificado" e seus parâmetros reajustados, destacou Bachelot.

Até o momento, cerca de 300 afetados receberam indenizações, de 10 mil euros cada, segundo a associação de vítimas.

jf/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG