Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Houve troca de cartões no free shop, diz ex-ministra

BRASÍLIA - A ex-ministra Matilde Ribeiro (Igualdade Racial) disse nesta quarta-feira, na CPMI dos Cartões, que fez compras num free shop, no valor de R$ 461, com o cartão corporativo devido ao seu cartão pessoal ser da mesma cor e mesma bandeira do cartão do governo. Ela também comentou que foi notificada em dezembro passado do equivoco e que ressarciu os cofres públicos.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

As cirurgias ocorreram depois que cinco candidatos a receberem um transplante de rim visitaram o Hospital Johns Hopkins para avaliações, cada um deles apresentando seu próprio possível doador.

Estes doadores não eram compatíveis com os candidatos que escolheram, mas eram compatíveis com outra pessoa do grupo.

Um sexto doador "altruísta" - que não era parente ou amigo de nenhum dos outros cinco - apareceu oferecendo um rim para transplante.

Isso possibilitou que todos do grupo recebessem um rim. A operação foi realizada simultaneamente para que nenhum doador voltasse atrás na decisão depois que seu parente ou amigo tivesse recebido um rim.

Pioneiro
"Todas as 12 pessoas estão passando bem, os seis rins estão funcionando bem", afirmou Robert Montgomery, médico diretor do centro de transplante do hospital de Maryland.

Estima-se que o rim recebido por cada paciente funcione por até 20 anos.

Quase cem profissionais da área médica trabalharam nos procedimentos, desde imunogeneticistas, para lidar com uma possível rejeição ao órgão, até psicólogos.

O Hospital Johns Hopkins realiza transplantes simultâneos de órgãos há três anos. Em 2005 o primeiro transplante triplo foi realizado. Um ano depois, o hospital fez o primeiro transplante quíntuplo.

O hospital é pioneiro em usar um sistema que atende diversas pessoas que precisam de transplantes ao mesmo tempo.

Sem o sistema, o rim do doador altruísta corria o risco de atender apenas um dos pacientes necessitados, deixando os outros cinco na fila de espera por um órgão compatível.

A paciente Jeanne Heise, uma das transplantadas, disse que mais pessoas deveriam conhecer esse sistema. O marido dela doou um rim para outra pessoa.

"A lista de espera por um rim é muito longa e muitas pessoas morrem enquanto esperam. Com este sistema, mais pessoas podem vencer doenças renais e viver vidas longas e produtivas."

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG