Hospital belga extrai células-tronco sem danificar embriões

Bruxelas, 12 set (EFE).- Cientistas do Hospital Universitário Ziekenhuis de Bruxelas foram os primeiros a conseguir a extração de células-tronco embrionárias sem destruir o embrião, como informou hoje a instituição em comunicado à imprensa.

EFE |

As células-tronco são extraídas normalmente a partir de um embrião no quinto dia de seu desenvolvimento antes da implantação, o que implica necessariamente a destruição do embrião.

No entanto, os cientistas belgas conseguiram extrair as células-tronco de uma célula do embrião - que tem quatro - no segundo dia de desenvolvimento.

Desta forma, o embrião não é destruído e as três células restantes podem seguir seu desenvolvimento e se implantarem, como embrião, no útero.

"Este progresso pode ter conseqüências positivas para países onde, por razões éticas, extrair células-tronco esteja proibido, ou seja, controverso", destacou o hospital no comunicado.

As células-tronco são um tipo especial de células indiferenciadas que têm a capacidade de se dividir indefinidamente sem perder suas propriedades e chega a produzir células especializadas.

Podem ser obtidas em diferentes fases do desenvolvimento humano, seja do embrião, do feto, do recém-nascido ou do adulto.

No entanto, as células-tronco embrionárias são as mais adequadas para o tratamento de doenças porque possuem uma capacidade indefinida de multiplicação e podem se transformar em qualquer tipo de tecido.

Isto abriria o caminho para a cura de uma grande variedade de doenças vinculadas à regeneração celular, como a diabetes, ou degenerativas, como o mal de Alzheimer e as lesões neurológicas. EFE vl/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG