Hospitais têm dificuldades pelo grande número de vítimas no Afeganistão

Londres, 10 fev (EFE).- Os hospitais britânicos que recebem os feridos na guerra no Afeganistão estão perto de superar a capacidade de atendimento devido ao elevado número de vítimas, informa hoje o jornal The Guardian.

EFE |

A demanda é tão alta que o Ministério da Defesa espera aumentar o número de leitos no centro de reabilitação na Inglaterra, o Headley Court (ao sul de Londres), de 66 para 96.

O hospital Selly Oak, em Birmingham (centro da Inglaterra), com o qual o Ministério da Defesa tem um contrato para atender a soldados seriamente feridos, pode ser obrigado a deslocar pacientes civis para atender os militares.

Já o hospital de campanha no Afeganistão, Camp Bastion, está prestes a superar a capacidade de atendimento.

Desde 2003, mais de 6,9 mil feridos no Iraque e Afeganistão foram transferidos ao Reino Unido para receber tratamento médico.

A informação foi publicada depois de o Governo advertir que pode haver mais vítimas, já que os 4 mil militares britânicos que estão no Afeganistão se preparam para começar a operação "Moshtarak" (Juntos) com a ajuda de fuzileiros navais americanos e forças afegãs.

O alvo da ofensiva, a maior desde o começo do conflito no Afeganistão em 2001, é a libertação da região de Marjah - no centro da província de Helmand (sul afegão) - dos insurgentes, indica o jornal.

Marjah tem uma forte presença dos talibãs e é o centro do comércio do ópio, informa "The Guardian".

O ministro da Defesa do Reino Unido, Bob Ainsworth, advertiu que é um "perigo real" que possa haver mais vítimas mortais nessa operação. EFE vg/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG