Hormônios podem aumentar risco de ataque cerebral em mulheres na menopausa

Uma terapia hormonal aumenta seriamente o risco de ataque cerebral em mulheres na menopausa, independente de quando foi iniciado o tratamento, de acordo com um estudo de cientistas americanos publicada pelo Archives of Internal Medicine.

AFP |

Mulheres que tomam estrogênio, hormônio sexual feminino, correm 39% mais risco de sofrer um ataque cerebral do que mulheres que nunca tomaram a substância.

Para as mulheres tratadas com uma combinação de estrogênio e progestina, forma sintética do progesterona, o risco é 27% maior, explicaram os cientistas.

"Este risco foi observado em mulheres que iniciam a terapia hormonal jovens, ou durante a menopausa, ou então a uma idade um pouco mais avançada, como por exemplo, 10 anos depois da menopausa", diz a pesquisa.

Se submeter à terapia hormonal durante menos de cinco anos quando jovem não mostra nenhum vínculo claro com o aumento do risco de ataque cerebral, fato que pode ser explicado devido a menor quantidade de casos.

A equipe que realizou o estudo, liderada pela doutora Francine Grodstein do Hospital de Mulheres (BWH) e da Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard em Boston, avaliou o risco de ataque cerebral vinculado a terapias hormonais em 121.700 mulheres de 30 a 55 anos.

Foram registrados 360 casos de ataque cerebral entre as mulheres que nunca haviam tomado hormônios e 414 casos entre as que se submeteram à terapia hormonal.

Os cientistas concluíram que ainda há inúmeras controvérsias sobre os riscos e benefícios dos tratamentos hormonais para as mulheres na menopausa.

js/cl/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG