Hong Kong barra entrada de cantor pedófilo britânico

O ex-astro do rock britânico, Gary Glitter, condenado por pedofilia, teve recusada entrada em Hong Kong depois que se negou a embarcar em um avião para a Grã-Bretanha. Gary Glitter, cujo verdadeiro nome é Paul Francis Gadd, de 64 anos, passou quase três anos em uma prisão no Vietnã por abuso sexual de duas meninas, e vem tentando ser aceito em algum país asiático.

BBC Brasil |

Ele havia sido deportado do Vietnã para a Grã-Bretanha mas, em uma escala em Bangcoc, na Tailândia, alegou que estaria tendo um ataque cardíaco e não embarcou para sua terra natal.

Ao invés disso, seguiu para Hong Kong. Segundo o correspondente da BBC na Tailândia, Jonathan Head, 19 países já disseram que vão recusar visto de entrada para Glitter.

Fiscalização
As autoridades britânicas querem que ele volte para o país, onde será recebido pela polícia no aeroporto e registrado como pedófilo, ficando sujeito fiscalização.

Glitter terá que informar à polícia britânica onde planeja viver, e se pretende viajar para o exterior. Ele pode ainda ser proibido de se aproximar de crianças ou de usar a internet.

A ministra do Interior da Grã-Bretanha, Jacqui Smith, disse na terça-feira que, na sua opinião, Glitter deveria ser impedido de viajar para o exterior através da Foreign Travel Order (FTO), prevista em legislação.

Smith anunciou ainda planos para tornar mais rigoroso o controle dos movimentos de pedófilos no país.

Entre as propostas em estudo, está a prorrogação do uso de FTO de seis meses para até cinco anos, com confisco automático do passaporte.

O anúncio de Smith é feito depois que a ONG em pról da infância, Ecpat UK, acusou o governo de "fazer vista grossa" para turistas sexuais britânicos.

Segundo a ONG, é fácil demais para cidadãos britânicos condenados por abuso sexual de crianças no exterior voltar para seu país de origem e escapar das vistas da polícia da Grã-Bretanha.

Sucesso
Gary Glitter emplacou 25 canções na parada de sucesso britânica entre 1970 e 1995.

Ele foi um dos maiores nomes do glitter, estilo que dominou a música do país na primeira metade dos anos 70 e foi considerado, por muitos, uma grande influência no punk e no pós-punk.

Em 1999, esteve na capa dos jornais britânicos quando foi considerado culpado por possuir imagens de pornografia infantil, na Grã-Bretanha.

Ele se mudou para o Camboja, país de onde foi expulso em 2002 após se tornar suspeito de molestar menores sexualmente. Desde então ele vinha residindo no Vietnã, onde acabou condenado. Paul Francis Gadd sempre negou ter abusado de crianças.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG