(acrescenta com detenção de hondurenho) Miami, 21 abr (EFE).- As autoridades das Bahamas detiveram hoje um hondurenho que será acusado de tráfico de imigrantes e que é apontado como responsável pela embarcação que naufragou no sábado em águas do arquipélago, matando pelo menos 20 haitianos, informa o site do jornal Sun-Sentinel.

Chris Lloyd, gerente de operações da associação local de resgates (Basra, na sigla em inglês), declarou que o hondurenho, cujo nome não foi divulgado, foi identificado como suposto capitão do barco e como organizador do tráfico humano junto com duas haitianas que sobreviveram ao naufrágio.

A embarcação que afundou havia zarpado na noite do mesmo sábado de Nassau (Bahamas), tendo como provável destino o estado da Flórida, nos Estados Unidos.

Hoje, a Guarda Costeira das Bahamas recolheu os corpos de 20 imigrantes haitianos que estavam no barco.

"Um total de 20 imigrantes haitianos morreu, três foram achados com vida, um deles de nacionalidade hondurenha, e outro permanece desaparecido", declarou, por sua vez, Jennifer Johnson, porta-voz da Guarda Costeira de Miami.

Segundo Johnson, a lancha onde viajavam os 24 imigrantes ainda não foi localizada. Ela também afirmou que os trabalhos de busca pela pessoa desaparecida continuariam durante o dia todo.

Já os sobreviventes declararam às autoridades das Bahamas que as 24 pessoas que faziam a vaigem caíram no mar depois que o barco em que estavam virou.

Por sua vez, o jornal "The Nassau Guardian" afirmou em sua versão on-line que os trabalhos de resgate começaram pouco antes do amanhecer, depois que tripulantes de uma embarcação que navegava a oeste da ilha de New Providence ouviram gritos dos naufrágos.

Os tripulantes desse barco efetuaram uma busca na escuridão, mas depois entraram em contato com a Basra. EFE sob/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.