Em uma multipartidária e barulhenta marcha, mais de 10.000 partidários do presidente deposto de Honduras Manuel Zelaya foram às ruas de Tegucigalpa para repudiar o governo de facto e advertir que os protestos pela volta de Zelaya se intensificarão.

"Vocês têm medo de nós porque nós não temos medo", cantava uma filha de Zelaya, Hortensia (mais conhecida como 'La Pichu'), diante da multidão que a acompanhava em coro pelo boulevar Juan Pablo II, na capital hondurenha, nas proximidades da Casa Presidencial.

Mais de 5.000 partidários de Zelaya partiram da Universidade Pedagógica Nacional, enquanto outras 3.000 pessoas se uniram a elas no meio do caminho, vindas da área de Olancho, no leste do país, e outras 2.000 procedentes de Comayagua, no centro.

O líder operário Israel Salinas leu um comunicado afirmando que a Frente Nacional de Resistência contra o Golpe de 28 de junho decidiu "aumentar e aprofundar as ações de resistência em todo o território nacional e intensificar os apelos por ações solidárias internacionais".

nl/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.