Honduras destaca normalização de relações diplomáticas

Tegucigalpa, 15 fev (EFE).- O chanceler hondurenho, Mario Canahuati, afirmou hoje que estão começando a normalizar as relações de Honduras com a comunidade internacional, exceto com alguns países latino-americanos, após a crise gerada pela destituição do ex-presidente Manuel Zelaya em 2009.

EFE |

"As coisas estão começando a normalizar", disse Canahuati à rádio "HRN" de Tegucigalpa. Ele destacou que este resultado tenha ocorrido no pouco tempo transcorrido desde 27 de janeiro passado, quando Porfirio Lobo assumiu a Presidência do país.

"O avanço que tivemos nesses 18 dias foi muito importante, não somente com os países amigos no âmbito das relações internacionais, mas também com os organismos multilaterais de financiamento", indicou.

O chanceler informou que vários países anunciaram o envio a Honduras de seus diplomatas e que o Governo de Lobo, por sua vez, já nomeou alguns representantes no exterior, entre eles, o embaixador para a Espanha.

Canahuati não antecipou nomes porque ainda precisam ser aprovados.

"Só nos falta normalizar relações diplomáticas com alguns países da região como Nicarágua, Brasil e os países da Alba (Aliança Bolivariana para as Américas)", assinalou Canahuati.

O chanceler hondurenho expressou que o Brasil já solicitou autorização para enviar seu encarregado de negócios, mas ainda não para o embaixador. Para ele, esse gesto "mostra a intenção (brasileira) de dar um primeiro passo para uma relação de amizade" com Honduras antes da plena normalização de relações.

O Brasil esteve no centro da crise de Honduras, quando o presidente deposto Manuel Zelaya ficou abrigado na embaixada brasileira em Tegucigalpa. EFE lam/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG