Por Aws Qusay BAGDÁ (Reuters) - No segundo dia de grande derramamento de sangue, dois militantes suicidas usando roupas com explosivos atacaram um importante santuário xiita em Bagdá na sexta-feira, matando pelo menos 30 pessoas, disse a polícia iraquiana.

Pelo menos 100 pessoas ficaram feridas no ataque, no santuário de Imam Moussa al-Kadhim, na área xiita de Kadhimiya, um frequente alvo de grupos insurgentes.

As explosões se seguiram a dois ataques suicidas na quinta-feira, um em Bagdá e outro na província nortista de Diyala, que deixaram 89 mortos -- o maior número de vítimas em um só dia no último ano.

Os ataques coincidem com o aumento dos temores de uma volta da violência no momento em que as tropas dos EUA se preparam para deixar as cidades iraquianas em junho, antes de uma retirada integral em 2011. Há também dúvidas sobre se a polícia e os soldados iraquianos conseguirão garantir a segurança no país.

Enquanto a violência gerada pela invasão do Iraque pelas forças lideradas pelos EUA em 2003 diminuiu dramaticamente no último ano, grupos insurgentes continuam a promover frequentes ataques. Homens-bomba são marca registrada do grupo islâmico sunita Al Qaeda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.