BAGDÁ (Reuters) - Homens-bomba mataram pelo menos 22 pessoas, incluído três soldados norte-americanos, na quinta-feira em ataques ocorridos em Bagdá e em Kirkuk, no norte do Iraque, segundo autoridades. Os soldados morreram quando um homem-bomba explodiu-se em um mercado lotado no distrito de Doura, sul de Bagdá.

"Foi um caos", disse uma testemunha que pediu para não ser identificada. "Algumas pessoas correram, outras caíram no chão em desespero."

Doze civis morreram e outros 25 ficaram feridos, disse a polícia. As mortes dos soldados foram confirmadas pelo Exército dos Estados Unidos.

Um hospital próximo ficou cheio de feridos, inclusive uma idosa e vários rapazes, alguns chorando em agonia. No local da explosão, um lençol cobria um corpo, e embalagens de ataduras tomavam o chão de uma loja, em meio a poças de sangue.

Em outro ataque, um homem-bomba fardado se misturou a milicianos sunitas que combatem insurgentes em Kirkuk e aguardavam seu pagamento. Ele detonou suas vestes explosivas junto à fila, deixando pelo menos sete mortos. Carros próximos foram danificados, e era possível ver sangue em meio aos cacos de vidro.

Os ataques ocorreram menos de 24 horas depois de um carro-bomba matar 40 civis e ferir 82 em uma região pobre de Bagdá, de maioria xiita.

Desde o ano passado, a segurança apresentou melhoras no Iraque, mas uma onda de ataques fez com que abril fosse o mês mais sangrento para civis desde novembro.

Ataques recentes levantam questões sobre a habilidade do Iraque em evitar o retorno à onda de violência com militares sem experiência assumindo maiores responsabilidades de segurança e com a retirada de tropas norte-americanas até o final de 2011.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.