Homens de Nápoles têm de escolher entre sexo e fogos de artifício

Centenas de italianas da região de Nápoles (sul da Itália) decidiram se negar a fazer sexo com seu companheiro na noite de 31 de dezembro se ele detonar rojões ou soltar fogos de artifício, uma tradição muito popular na Itália e que deixa centenas de feridos a cada ano.

AFP |

Batizado "Se spari, niente sesso" (Se soltarem fogos, ficarão sem sexo), o comitê criado por Carolina Staiano, uma dona de casa da cidade de Lettere, perto de Nápoles, já recebeu o apoio de várias centenas de mulheres nos últimos dias.

A idéia é convencer maridos e namorados a não detonarem enormes quantidades de rojões e fogos de artifício de fabricação caseira, e também a não atirarem para o alto com armas de fogo, algo que os homens fazem muito no sul do país para comemorar o réveillon.

"Detonar rojões ilegais é perigoso. Se seu companheiro não quer entender, mande-o dormir no sofá", disse Carolina Staiano nesta quarta-feira ao jornal La Stampa.

A privação de sexo "é um argumento ao qual os homens são particularmente sensíveis", destacou.

Interessada pela iniciativa, a província de Nápoles informou que enviará nesta quarta-feira para os celulares do maior número possível de homens da região a seguinte mensagem: "Não detonem fogos, mas façam sexo".

Esta tradição de fogos de artifícios e disparos de armas de fogo deixou um morto e 473 feridos em toda a Itália na noite de 31 de dezembro de 2007.

kd/yw-lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG