Homenagem a Mandela reúne grandes nomes da música em Nova York

Nova York - Nelson Mandela foi homenageado por seu 91º aniversário em Nova York, onde artistas como Cyndi Lauper, Queen Latifah, Wyclef Jean, Carla Bruni, Gloria Gaynor ou Yvonne Chaka Chaka cantaram em honra ao ex-presidente da África do Sul e prêmio Nobel da Paz.

EFE |

AFP
Stevie Wonder canta em homenagem a Mandela

Gloria Gaynor e o hino "I will survive" abriram o show, que ocorreu no Radio City Music Hall de Nova York, o lugar escolhido para esta homenagem depois da primeira, realizada em Cidade do Cabo, seguida por Londres. Em 2010 a festa acontece em Madri.

A homenagem a Mandela, organizada pela Fundação Mandela e pela ONG 46664, que é o número usado pelo sul-africano quando ficou preso e que é dedicada à luta contra a aids, teve atuações do rapper Will.I.Am e de Cyndi Lauper, que, com a rapper Lil Kim, interpretou sua música mais famosa, "Time after Time".

"Gente como Nelson Mandela mudou o mundo. É um grande herói, um lutador pela liberdade", disse Lauper à Agência Efe, pouco antes de cantar no palco do Radio City.

AFP
Alicia Keys
Ela explicou que escolheu a música porque sabia que "Mandela gosta dela".

Uma das atuações mais esperadas foi a de Carla Bruni-Sarkozy, a primeira-dama da França, que, acompanhada do britânico Dave Stewart, do Eurythmics, no violão, cantou seu principal sucesso "Quelqu'un m'a dit", assim como "Blowin'in the wind", de Bob Dylan.

Na plateia, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, aplaudiu a atuação da mulher, a primeira desde que eles se casaram, em 2008.

"Feliz aniversário, Madiba", desejou ao ex-presidente sul-africano o ator Morgan Freeman, que lembrou ao público que, em sua carreira, interpretou "presidentes dos Estados Unidos e até Deus no cinema, mas a história que vou fazer agora no cinema é verdadeira".

Freeman, que interpreta Mandela no último filme de Clint Eastwood, "Invictus", lembrou que o líder sul-africano "passou 27 anos preso e liderou a luta contra o regime opressor do apartheid, e saiu dali sem rancor nem amargura".

Durante o show foi transmitida uma breve mensagem audiovisual de Mandela, que não pôde viajar devido à sua frágil saúde.

Em Johanesburgo, ele agradeceu a homenagem e ressaltou que "o dia de Mandela é um dia dedicado ao serviço aos demais, e espero que as pessoas dediquem este esforço a melhorar as condições da comunidade. Obrigado por participar".

Reuters
Palco do show em homenagem a Mandela

    Leia tudo sobre: mandela

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG