Homem que preparava atentado contra o Pentágono se declara inocente

Rezwan Ferdaus é acusado de querer atacar Pentágono e Capitólio usando aviões movidos por controle remoto carregados de explosivos

iG São Paulo |

Um americano acusado de planejar atentados contra o Capitólio e o Pentágono com aeromodelos carregados de explosivos se declarou inocente nesta segunda-feira em um tribunal de Worcester, Estado de Massachusetts. Rezwan Ferdaus, 26 anos, também é acusado de tentar fornecer material para fabricação de bombas para usar em ataques contra soldados dos Estados Unidos no Iraque.

AP
A família de Rezwan Ferdaus deixa o tribunal de Worcester, em Massachusetts

O juiz federal de Worcester decidiu adiar sua decisão sobre uma possível liberdade sob fiança até 20 de outubro, para dar a Catherine Byrne, advogada de Ferdaus, mais tempo para analisar o caso.

Um grupo com cerca de 20 familiares e amigos do acusado gritou frases de apoio como "estamos com você" e "te amamos" quando Ferdaus entrou e saiu do tribunal.

Ferdaus foi detido na quinta-feira passada em Framingham, perto de Boston, depois de ter guardado armas recém-recebidas em um depósito.

No âmbito do suposto complô, uma equipe de agentes do FBI disfarçados atuaram como cúmplices, fornecendo a Ferdaus um avião movido por controle remoto, explosivos C4 e armas leves que ele supostamente planejava usar em ataques simultâneos em Washington.

Ferdaus supostamente modificava telefones celulares para usá-los como dispositivos elétricos em bombas que seriam usadas contra tropas americanas no Iraque. "Era exatamente o que eu queria", teria dito quando lhe contaram, falsamente, que um dos telefones que preparou havia sido usado em uma bomba que matou três soldados.

Em maio e junho de 2011, o jovem enviou dispositivos de armazenamento de dados para a equipe de policiais disfarçados com planos passo a passo da sua suposta trama. Eles incluíam o uso de três aviões movidos por controle remoto e seis pessoas que receberiam fuzis de assalto e granadas. Segundo o FBI, o plano era usar o "ataque aéreo" contra locais-chave. O domo do Capitólio seria explodido "em pedaços", teria dito Ferdaus, segundo a denúncia.

Autoridades descreveram Ferdaus como um graduado em Física da Universidade de Northeastern, seguidor da Al-Qaeda e comprometido com a "jihad violenta" desde o início do ano passado. De acordo com a pouca informação pessoal divulgada do acusado, ele é solteiro e não tem filhos. Aparentemente, também possuía habilidades para trabalhos técnicos.

Com AFP e AP

    Leia tudo sobre: terroristaatentadoataqueeuapentágonocapitólio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG