Homem que morreu em tiroteio no Pentágono agiu sozinho, segundo autoridades

Washington, 5 mar (EFE).- O homem que fez disparos e feriu dois seguranças nesta quinta-feira, nos arredores do Pentágono, e morreu em seguida ao trocar tiros com policiais agiu sozinho e não tinha vínculos com terroristas, informaram hoje as autoridades americanas.

EFE |

O acusado, identificado como John Patrick Bedell, de 36 anos, morador da cidade de Hollister (Califórnia), foi atingido na cabeça ao supostamente tentar entrar na sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e morreu ontem à noite no hospital George Washington.

"Não há indícios, neste momento, de que houvesse algum vínculo terrorista doméstico ou internacional", disse o chefe da polícia do Pentágono, Richard Keeil, assegurando que as causas do tiroteio são desconhecidas.

Os dois seguranças que ficaram feridos no tiroteio sofreram lesões "superficiais", segundo Keeil, e já receberam alta.

"Aparentemente trata-se de um indivíduo que sofria de algum tipo de distúrbio mental", acrescentou.

Bedell, de acordo com o chefe da polícia, estava bem vestido, não usava colete à prova de balas e portava duas pistolas calibre 9 milímetros no momento do ataque. EFE.

jab/id

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG