Homem que morreu durante o G20 teve hemorragia abdominal

O homem que morreu pouco depois de ter sido empurrado bruscamente por um policial durante as manifestações contra o G20, reunido em Londres, sofreu uma hemorrragia abdominal e não um infarto como havia sido informado, anunciou o advogado da família da vítima.

AFP |

Ian Tomlinson, um jornaleiro de 47 anos que não participava nos protestos de 1º de abril, foi empurrado brutalmente e agredido em seguida com um cassetete por um policial, segundo um vídeo disponibilizado na internet.

Uma primeira necrópsia informou que a morte de Tomlinson, poucos minutos depois do incidente, havia sido provocada por uma crise cardíaca, mas agora uma segunda análise apontou uma hemorragia abdominal, declarou o advogado da família.

A Scotland Yard voltou ao banco dos réus por causa do vídeo que mostrava um policial derrubando violentamente o manifestante durante os protestos da semana retrasada contra a reunião do G20 em Londres.

O incidente aconteceu quase quatro anos depois da morte do eletricista brasileiro Jean Charles de Menezes, fuzilado em uma estação de metrô da capital londrina por agentes da Scotland Yard ao ser confundido com um terrorista.

Nenhum policial foi processado pela morte do brasileiro. A Scotland Yard foi considerada culpada de infringir as leis de saúde e segurança pública e condenada a pagar uma multa de 175.000 libras (350.000 dólares).

Uma comissão independente encarregada de averiguar as queixas contra a polícia, a IPCC (Independent Police Complaints Comission), está trabalhando agora para esclarecer a morte de Iam Tomlinson.

O vídeo, divulgado pelo jornal The Guardian, mostrava Tomlinson caminhando despreocupadamente, com as mãos o bolso, e seguida de perto por policias e seus cachorros, fora dos cordões de isolamento estabelecidos pelas forças de segurança em torno dos manifestantes.

Os policiais parecem forçá-lo a apressar o passo antes de um deles empurrá-lo violentamente pelas costas, fazendo-o cair ao chão. Tomlinson permanece um momento sentado, parece xingar os policiais, e se levanta com a ajuda de outros transeuntes. Pouco depois, morre por uma parada cardíaca.

As imagens, registradas, segundo o Guardian, por um manifestante nova-iorquino, levaram a família de Tomlinson a reclamar uma investigação penal.

Na terça-feira passada, a polícia britânica também suspendeu um segundo oficial, que apareceu em um novo vídeo disponibilizado na internet agredindo uma mulher no mesmo dia das manifestações.

As imagens mostram uma mulher de costas, com um gorro na cabeça, enfrentando um policial, que a empurra para forçar um recuo. O homem leva a mão ao rosto da manifestante, mas o ângulo não permite saber se ele a atingiu ou não.

Ao ser enfrentado verbalmente pela terceira vez, o policial saca o cassetete e agride a jovem nas pernas.

mt/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG