atropelou várias pessoas durante o desfile do Dia da Rainha em Apeldoorn, no centro da Holanda, e causou sete mortes, incluindo a dele mesmo, o descrevem como solitário, mas não problemático." / atropelou várias pessoas durante o desfile do Dia da Rainha em Apeldoorn, no centro da Holanda, e causou sete mortes, incluindo a dele mesmo, o descrevem como solitário, mas não problemático." /

Homem que atropelou público na Holanda era solitário, dizem vizinhos

Bruxelas - Os vizinhos e conhecidos de Karst T., o homem que na quinta-feira http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/05/01/nove+vitimas+de+atropelamento+na+holanda+continuam+internadas+5881936.htmlatropelou várias pessoas durante o desfile do Dia da Rainha em Apeldoorn, no centro da Holanda, e causou sete mortes, incluindo a dele mesmo, o descrevem como solitário, mas não problemático.

EFE |

Segundo diversos testemunhos publicados hoje pela imprensa holandesa, Karst T. era retraído e tinha poucas relações com a vizinhança de Huissen (a 40 quilômetros de Apeldoorn), onde morava.

O homem tinha perdido recentemente o emprego em uma empresa de segurança e também tinha que deixar a casa onde morava. Segundo o proprietário do apartamento, ele tinha uma reunião ontem para entregar as chaves ao novo inquilino.


Carro atingiu cerca de 14 pessoas durante passagem da família real / AFP

O proprietário, citado pelo jornal "De Telegraaf", afirma que ele nunca lhe deu problemas e que sempre pagava o aluguel em dia, mas, na semana passada, comunicou que não podia mais arcar com essa despesa, por isso tinha que deixar o apartamento.

As autoridades confirmaram que Karst T., de 38 anos e nacionalidade holandesa, não tinha antecedentes policiais e também não sofria de problemas mentais.

Um amigo do agressor, citado sob pseudônimo pelo "De Telegraaf", considera que a ação de Karst T. - que tentou atacar o ônibus onde estavam a rainha Beatrix e sua família, sem sucesso, e acabou atropelando o público - foi um ato de desespero.

Segundo este homem, ao ficar sem trabalho, sem casa e sem dinheiro, Karst T. queria se vingar da empresa de segurança que o despediu, mostrando as falhas do sistema de segurança no desfile de Apeldoorn.

Leia mais sobre: Holanda

    Leia tudo sobre: holanda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG