Homem pré-histórico iniciou extinção de grandes animais, diz estudo

Washington, 11 ago (EFE).- O homem foi o principal responsável pela extinção dos animais gigantes durante a pré-história, e não a mudança climática, afirma um estudo divulgado hoje pelo periódico Proceedings of the National Academy of Sciences.

EFE |

A pesquisa, realizada por cientistas britânicos e australianos, diz que a principal evidência dessa teoria são os gigantescos cangurus e outros marsupiais que habitaram a ilha da Tasmânia, que na época era ligada ao sul da Austrália.

Acreditava-se que, há cerca de 43 mil anos, quando o homem chegou à região, esses grandes animais já tinham sido extintos.

No entanto, o estudo apresentado nesta segunda-feira constatou que os gigantescos cangurus da Tasmânia ainda existiam quando os humanos começaram a povoar a região.

Os resultados das análises com carbono 14 mostraram que esses animais sobreviveram até pelo menos 41 mil anos atrás e por cerca de dois mil anos desde a instalação dos primeiros assentamentos humanos na ilha.

Segundo os pesquisadores, o fato de o clima na Tasmânia não ter mudado de forma dramática nesse período é outra evidência de que essas espécies foram extintas devido à caça excessiva.

"O argumento de que a mudança climática foi a causa de uma extinção em massa perdeu força de modo considerável", declara Chris Turney, cientista da Universidade de Exeter (Reino Unido) e principal autor do estudo.

Os pesquisadores explicam ainda que o exemplo da Tasmânia é aplicável a outras partes do mundo. EFE ojl/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG