Um homem que pegou fogo após ser atingido com uma pistola de choque utilizado pela polícia foi internado com queimaduras graves na Austrália. O incidente ocorreu na distante comunidade de Warburton, localizada a cerca de 1,5 mil quilômetros de Perth, na região desértica do nordeste australiano.

A imprensa local identificou o homem como Ronald Mitchell, 36, ex-presidiário e supostamente conhecido pela polícia por um histórico violento e seu vício de cheirar gasolina e cola.

Segundo o jornal "The Australian", o incidente se deu quando a polícia bateu à porta da casa onde estava Mitchell para investigar uma denúncia de consumo de gasolina no local.

O diário citou uma irmã de Mitchell relatando que ele teria se recusado a sair por medo de ser preso. Após momentos de tensão, ele saiu da casa carregando um contêiner com gasolina e um isqueiro.

O disparo da pistola de choque dos policiais provocou combustão imediata e o homem foi envolvido pelas chamas.

Ele foi socorrido pelos policiais no ato, mas ainda assim teve de ser internado com queimaduras de terceiro grau no peito, no rosto e nos braços, após ser transportado de helicóptero para um hospital no centro urbano mais próximo.

A rede ABC afirmou que o episódio acendeu críticas contra o uso da pistola de choque na Austrália. Segundo o "Sydney Morning Herald", uma investigação foi aberta para apurar o caso, mas um porta-voz da polícia evitou afirmar que o uso da arma tenha sido a causa do incidente.

Leia mais sobre pistola de choque

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.