Homem morto em Londres durante G20 sofreu parada cardiaca

O homem que faleceu quarta-feira em Londres durante as manifestações que marcaram a cúpula do G20 morreu após uma parada cardíaca, confirmou neste sábado a polícia britânica.

AFP |

"A autópsia mostrou que ele morreu por causas naturais", anunciou a polícia da City, o distrito financeiro de Londres. "Ele sofreu uma parada cardíaca quando voltava do trabalho", disse.

Ian Tomlinson, de 47 anos, não estava participando da manifestação contra o G20. Ele caiu sozinho no chão perto do Banco da Inglaterra, na City, epicentro da manifestação, indicou a Scotland Yard.

No dia, uma porta-voz dos serviços de emergência indicou que o homem caiu no chão inconsciente e um manifestante chamou uma ambulância.

"Recebemos uma ligação de emergência às 7H24 PM (18H24 GMT) de um participante da concentração, indicando que um homem havia caído e estava inconsciente, mas respirando", declarou.

"Às 7H30, fomos informados pela polícia de que um homem no mesmo local havia parado de respirar", acrescentou.

Ele foi levado para um local mais calmo, longe do protesto, onde um agente da polícia deu início aos procedimentos de primeiros-socorros e ressuscitamento com desfibrilador antes da chegada dos paramédicos.

"Eles fizeram todos os esforços para ressuscitá-lo lá e no caminho para o hospital", relatou a porta-voz.

O distrito do Banco da Inglaterra foi bloqueado durante várias horas na quarta-feira. A polícia e os manifestantes se enfrentaram durante a Cúpula do G20.

Quase 120 pessoas foram detidas quarta e quinta-feira nas manifestações contra a cúpula.

Leia mais sobre G20

    Leia tudo sobre: g20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG