Americano Walter Breuning atribuía longevidade ao fato de comer apenas duas refeições por dia

Considerado o homem mais velho do mundo, o americano Walter Breuning morreu nesta semana aos 114 anos, informou nesta sexta-feira o asilo onde ele morava em Great Falls, no Estado americano de Montana.

Breuning, que morreu de causas naturais, também era considerado a segunda pessoa mais velha do mundo. Ele nasceu 26 dias depois da americana Besse Cooper, de acordo com o Grupo de Pesquisa em Gerontologia, que mantém registro sobre os centenários do mundo.

Ele foi funcionário do sistema ferroviário e atribuía sua longevidade ao fato de comer apenas duas refeições por dia nos últimos 35 anos.

"Acredito que deveríamos ser puxados da mesa quando ainda estamos com fome", disse ao jornal "Great Falls" em 2009. "Você passa a ter o hábito de não comer à noite, e percebe oquanto você se sente bem. Seria bom dizer às pessoas para não comer tanto", acrescentou.

Walter Breuning mostra um retrato dele mesmo no asilo em que morava (06/10/2010)
AP
Walter Breuning mostra um retrato dele mesmo no asilo em que morava (06/10/2010)

A cada aniversário, Breuning oferecia palavras de sabedoria em um discurso no asilo, onde vivia desde 1980. "Há coisas boas e ainda melhores dentro de todos nós, se conseguirmos descobri-las", afirmou Breuning recentemente.

Em comunicado, o governador de Montana, Brian Schweitzer, disse estar profundamente triste pela morte de Breuning. "Walter me ensinou que fazer as coisas com moderação nos ajudará a ter uma vida longa; que trabalho duro e uma vida modesta são suficientes para uma vida feliz e, mais importante, que retribuir é bom para a alma."

Breuning nasceu em Melrose, Minnesota, em 21 de setembro de 1896, e se mudou para Great Falls em 1918, encontrando trabalho na ferrovia Great Northern. Ele se alistou no serviço militar durante a Primeira Guerra Mundial, mas não foi convocado. Quando a Segunda Guerra Mundial começou, ele era muito velho para servir.

De acordo com o asilo, Breuning frequentemente lembrava de sua infância. Ele falava sobre o dia em que o presidente americano William McKinley foi atingido por um tiro em 1901 como "o dia em que cortei o cabelo pela primeira vez".

Com AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.