COPENHAGUE - O juizado de Eksjö, no sul da Suécia, ordenou hoje a prisão preventiva de um homem suspeito de ter mantido trancada por nove anos a esposa, que sofre de esclerose múltipla, em uma cabana de 15 metros quadrados nos arredores dessa localidade.

Na audiência, realizada a portas fechadas, o homem se declarou inocente da acusação de privação ilegal de liberdade.

As autoridades suecas não deram outros dados sobre as circunstâncias e os motivos do cativeiro ou o estado da mulher, apelando ao segredo de justiça.

Segundo o jornal "Smalands-Tidningen", a mulher, que pesava entre 35 e 40 quilos, foi levada na quinta-feira a um hospital e seu estado de saúde é grave.

Após receber várias denúncias dos vizinhos, a polícia abriu, há poucos dias, uma investigação sobre o homem por supostos maus-tratos à esposa e na quarta-feira o convocou a depor, informou o jornal.

As declarações de várias testemunhas e as do próprio detido levaram a polícia a detê-lo e a ampliar o caso, no qual se incluiu também a acusação de privação ilegal de liberdade.

O "Smalands-Tidningen" informou também sobe o depoimento de um vizinho que assegurou ter visto várias vezes o casal passeando e se mostrou surpreso com as acusações de maus-tratos.

Eksjö é uma pequena vila de dez mil habitantes situada na província de Smaland, cerca de 300 quilômetros ao sul de Estocolmo.

Leia mais sobre cárcere privado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.