Homem é preso nos EUA depois de retransmitir TV do Hisbolá

Nova York, 23 dez (EFE).- O proprietário de uma companhia de TV por satélite foi declarado hoje culpado de colaborar com uma rede terrorista estrangeira após admitir que ajudou na transmissão, nos Estados Unidos, de uma rede da milícia libanesa xiita Hisbolá, podendo agora passar até seis anos na prisão por isso.

EFE |

A Promotoria do Distrito Sul de Nova York informou hoje que Javed Iqbal conseguiu um acordo com as autoridades pelo qual se declara culpado do delito de facilitar materiais e infra-estrutura a grupo terrorista e aceita passar até seis anos e meio em prisão, embora a sentença não venha a ser emitida até 24 de março próximo.

Os promotores explicaram em comunicado que Iqbal utilizava antenas parabólicas - que tinha em seu trabalho - para colocá-las em sua casa de Staten Island (Nova York) e ajudar assim na distribuição do sinal da "Al-Manar", emissora do Hisbolá, em troca de "milhares de dólares" e durante cerca de um ano, a partir de setembro de 2005.

A organização, considerada terrorista pelo Pentágono, tem por missão "o estabelecimento de um Estado islâmico fundamentalista e a destruição do Estado de Israel", e por isso "vê os EUA como um inimigo", explica a Promotoria em seu relatório.

Leia mais sobre: Hisbolá

    Leia tudo sobre: hisbolá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG