La Paz, 17 ago (EFE).- Um juiz pediu hoje a prisão preventiva do homem que, no fim de semana passado, bateu no vidro do carro que levava o presidente da Bolívia, Evo Morales, no departamento de Cochabamba.

Os canais de TV locais informaram hoje que Edmundo Larrea, de 62 anos, ficará em uma prisão em Cochabamba até que comece o julgamento por atentar contra a segurança do chefe de Estado.

No sábado passado, Larrea insultou Morales e, após ter burlado a segurança, bateu contra um dos vidros do carro em que estava o presidente.

"Há oito anos, quando estava trabalhando em Chapare em uma empresa privada, nos fizeram uma emboscada. Ele (Evo Morales) era o dirigente (dos cocaleiros), a favor dos narcotraficantes", disse no sábado Larrea à imprensa, enquanto mostrava uma cicatriz em um dos braços.

Um dia depois, Larrea pediu perdão ao presidente e assegurou que no sábado agiu sob a influência do álcool. EFE gb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.