Um cidadão da Coreia do Norte foi executado publicamente no país comunista por ter falado por telefone celular com um refugiado norte-coreano na Coreia do Sul, dando informações sobre a vida no país comunista, informou nesta quinta-feira a agência sul-coreana Yonhap.

Segundo a emissora radiofônica "Open Radio for North Korea" (ORNK), um trabalhador norte-coreano, identificado pelo sobrenome Jung, foi executado em público no final de janeiro depois que um telefone celular chinês foi encontrado em sua casa.

A "ORNK", que cita fontes de segurança norte-coreanas, disse que Jung trabalhava em uma fábrica em Hamheng, a nordeste de Pyongyang, e foi acusado de dar informação a um refugiado norte-coreano na Coreia do Sul, informando sobre coisas como os preços de arroz no mercado.

As fontes acrescentaram que as autoridades do regime de Kim Jong-il estreitaram recentemente sua vigilância sobre os norte-coreanos que tentam manter contato com amigos ou familiares refugiados na Coreia do Sul mediante telefones celulares que operam pela rede chinesa.

A Coreia do Norte, que segundo organizações humanitárias vive em extrema penúria econômica, realizou em novembro uma reforma monetária para estabilizar os preços e consolidar a chegada ao poder de Kim Jong-eun, filho mais jovem de Kim Jong-il.

No entanto, especialistas acreditam que a reforma foi um fracasso, e os preços de bens de primeira necessidade dispararam, gerando um grande descontentamento social.

Segundo o governo sul-coreano, cerca de 16.500 norte-coreanos se refugiam na Coreia do Sul desde o início do êxodo, em 1989, quando os norte-coreanos começaram a escapar da fome e da repressão do regime.

Leia mais sobre Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.