Seis tripulantes de um avião da companhia canadense Canjet permanecem como reféns de um homem armado em um aeroporto da Jamaica, depois que ele liberou os passageiros do voo, informou o gerente da empresa, Ken Woodside.

"Seis tripulantes ainda permanecem a bordo, o homem armado também está a bordo", disse Woodside em uma entrevista coletiva concedida em Halifax, Nova Escócia, Canadá.

AFP
Avião sequestrado na Jamaica


Na Jamaica, funcionários do aeroporto e da companhia aérea informaram que todos os passageiros foram liberados ilesos pelo sequestrador, que permanece dentro do avião no aeroporto internacional Sangster de Montego Bay.

"Ele quer ir para Cuba", afirmou o ministro da Informação da Jamaica, Daryl Vaz.

O ministro descreveu o criminoso, um jamaicano com idade por volta de 20 anos, como, um "jovem mentalmente perturbado". Ele disse ainda que o fato não deve ser encarado com um incidente internacional.

Vaz afirmou que dois membros da tripulação também foram liberados ilesos, enquanto outros seis permanecem a bordo da aeronave.

O primeiro-ministro da Jamaica, Bruce Golding, seguiu para o aeroporto para acompanhar a situação.

A polícia negocia com o sequestrador, com a ajuda do pai deste, em um tentativa de acabar com o incidente de forma pacífica e entender como o jovem armado conseguiu superar as barreiras de segurança do aeroporto, para chegar à aeronave na pista.

O voo 918 da Canjet, operado pela empresa Transat Tours Canada, fazia uma escala em Montego Bay antes de seguir viagem para a cidade canadense de Halifax.

Segundo uma das passageiras liberadas, Christen Gosslin, o sequestrador exigiu o dinheiro de todos os ocupantes do avião, informou o canal CNN.

Leia mais sobre sequestro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.