Sydney (Austrália), 29 dez (EFE).- O nigeriano acusado de tentar explodir no ar o voo 253 da companhia americana Northwest Airlines, Umar Farouk Abdulmutallab, desapareceu em meados deste ano do campus que uma universidade da Austrália tem em Dubai, indicou hoje o vice-reitor do centro.

Abdulmutallab, de 23 anos, filho de um banqueiro nigeriano, acabou em 2008 um curso de engenharia no University College London (UCL), no Reino Unido, onde estudou desde 2005, e depois se matriculou na Universidade de Wollongong em Dubai.

"Ele começou em janeiro de 2009, mas desapareceu das residências universitárias por volta da metade de ano, e foi excluído no segundo semestre, entre agosto, setembro e outubro, por não ter feito o pagamento da matricula", disse o vice-reitor Gérard Sutton à cadeia australiana de rádio "ABC".

Sutton assinalou que, de acordo com as informações que dispunha, Abdulmutallab não tinha se comportado de forma estranha durante os meses que cursou estudos de gestão de empresas internacionais.

"Foi um estudante normal, dos que passam nas disciplinas. Não temos informação sobre suas atividades fora da universidade", disse o vice-reitor de Wollongong.

Os Estados Unidos acusaram formalmente Abdulmutallab de tentar destruir um avião da Northwest Airlines que estava a ponto de aterrissar no dia de Natal, em Detroit, e de introduzir uma bomba na cabine de passageiros. EFE aus/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.