Homem acerta sapato contra a presidente da Suprema Corte de Israel

Um manifestante acertou um sapato no rosto da presidente da Suprema Corte de Israel nesta quarta-feira. A juíza Dorit Beinisch caiu de sua cadeira, sofreu hematomas no rosto e teve seus óculos quebrados por causa do ataque. Mas ela não sofreu nada sério e logo retornou à corte para encerrar a sessão.

BBC Brasil |

Reuters
Seguranças prendem homem que atirou sapato

Seguranças prendem homem que atirou sapato

O autor da agressão, identificado como Pinchas Cohen, de 52 anos, foi preso pela polícia logo após o ataque.

Ainda não se sabe o que o motivou a atirar o sapato na juíza, mas foi revelado que em 2006 ele foi proibido de se aproximar de uma corte em Jerusalém por três meses por ter ameaçado um juiz da cidade.

Relatos dos que presenciaram o ataque desta quarta-feira contam que Cohen teria gritado "corrupta", "traidora" e "você destruiu minha vida" antes de arremessar o calçado.

O episódio ocorreu durante uma audiência sobre o uso medicinal de maconha, mas aparentemente o ataque não teve nenhuma relação com isso.

Arremesso de sapatos

Atirar um sapato contra uma pessoa é um insulto grave para a cultura árabe. Mas a prática parece tem se tornado uma forma popular de protesto em todo o mundo.

Em 2008, um jornalista iraquiano tentou acertar o então presidente americano George W. Bush, que conseguiu se esquivar do ataque.

Na terça-feira, um homem lançou um sapato contra o presidente sudanês Omar al-Bashir durante um discurso em Cartum, mas errou a mira.

Leia mais sobre Israel

    Leia tudo sobre: israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG