Hollande critica promessa de Sarkozy de reduzir número de imigrantes na França

À TV, presidente disse que há 'muitos estrangeiros' no país e reduzirá benefícios daqueles que não nasceram em território francês

iG São Paulo |

AP
Hollande em visita a escola em Villeneuve-la-Garenne, na Grande Paris (6/3)
O candidato socialista à presidência da França, François Hollande , criticou nesta quarta-feira a promessa de seu principal rival e atual presidente do país, Nicolas Sarkozy , de reduzir à metade a entrada de imigrantes, rebaixando o atual número para 100 mil pessoas por ano.

Eleição: Sarkozy nega pacto de líderes mundiais contra seu rival

Em entrevista à emissora de rádio Europe 1, Hollande assinalou que dos 180 mil imigrantes legais que passam a viver na França a cada ano, metade é formada por estudantes, considerados necessários para ocupar cargos qualificados que tornem a economia do país mais competitiva.

O líder socialista, que prometeu suprimir um decreto do atual ministro do Interior, Claude Guéant, que endurece as condições para estudantes estrangeiros que desejam permanecer na França ao terminar sua formação, também criticou de Sarkozy de dificultar a entrada de estrangeiros que tenham se casado com franceses.

Hollande insistiu que "é falsa" a afirmação do atual presidente de que ele pretende regularizar os imigrantes irregulares, e lembrou que sua posição passa por expulsar todos aqueles que não cumprirem três critérios: ter trabalho na França, ter família instalada no país e viver há muito tempo em território francês.

“Muitos estrangeiros”

Em um debate na TV na terça-feira, Sarkozy disse que havia “muitos estrangeiros” na França e que o sistema para integrá-los está “funcionando cada vez pior”.

O presidente disse que enquanto a imigração poderia ser um benefício para a França, ela precisa ser controlada cada vez mais, através das regras de qualificação para estrangeiros que pretendem residir no país.

Sarkozy, cujo pai era um imigrante húngaro, também disse que pretende reduzir alguns benefícios pagos aos imigrantes. Ele prometeu endurecer as condições para que os estrangeiros possam receber ajudas sociais, especialmente a previdência não contributiva e o RSA, um subsídio mínimo concedido para quem está fora do mercado de trabalho. Além disso, ele disse que os imigrantes terão de ter trabalhado por cinco anos e terão de residir na França há pelo menos dez anos – frente os cinco atuais - para poder receber tais benefícios.

Se eleito, ele prometeu buscar reduzir o número de imigrantes na França dos atuais 180 mil por ano para 100 mil e introduzir um controle mais rígido no acesso aos benefícios do Estado.

Como presidente, Sarkozy tem mostrado uma posição mais dura em relação à imigração, como mostrou o episódio de deportação de ciganos romenos , no fim de agosto de 2010.

Audiência

A entrevista dada pelo presidente francês teve audiência menos que a série americana House. De acordo com o instituto Mediametrie, 5,6 milhões de telespectadores assistiram à participação de Sarkozy no programa Palavras e Fatos.

Economia: Territórios vizinhos ressaltam problemas da França

A participação na audiência, 23,7%, foi menor que a registrada no mesmo horário por House, que obteve 27,7%, com 8,1 milhões de espectadores.

No dia 26 de janeiro, no mesmo programa, Hollande teve audiência de 5,5 milhões de telespectadores, o que representou 21,3% de participação.

*Com EFE, BBC e AFP

    Leia tudo sobre: eleição françasarkozyhollandeimigrantesciganos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG