Holder descarta libertar nos EUA detentos de Guantánamo

Washington, 7 mai (EFE).- O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, assegurou hoje que o Governo não libertará supostos terroristas detidos em Guantánamo em território americano, e não colocará em perigo a segurança dos cidadãos do país.

EFE |

O procurador-geral do Estado, que compareceu hoje no Congresso dos EUA para defender o orçamento do Departamento de Justiça para este ano fiscal, afirmou aos legisladores que o Governo "não tem planos de libertar terroristas".

O projeto orçamentário da Administração do presidente Barack Obama prevê uma verba de até US$ 160 milhões para fechar a prisão da base naval americana em Guantánamo (Cuba).

Holder explicou que parte dos detidos em Guantánamo terão que ser libertados, já que o Governo acredita que alguns detentos não sejam terroristas.

"Em relação àqueles que descreveríamos como terroristas, estes não seriam levados a este país e seriam libertados", ressaltou.

O Governo também não prevê libertar qualquer dos presos considerados terroristas no estrangeiro.

O procurador-geral explicou que "alguns serão libertados, outros serão julgados e terceiros serão detidos".

"Nossa principal preocupação é com a segurança dos cidadãos americanos. Não vamos colocar em risco a segurança das pessoas deste país", afirmou. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG