Holanda acelera adoção de crianças haitianas

AMSTERDÃ (Reuters) - Mais de 100 crianças haitianas chegarão à Holanda nesta quinta-feira como parte de uma iniciativa para acelerar programas de adoção depois do terremoto que devastou o Haiti no dia 12 de janeiro. As 106 crianças enviadas a Amsterdã já estavam no processo de adoção antes do terremoto, que pode ter matado até 200 mil pessoas e reduziu a capital de Porto Príncipe a escombros.

Reuters |

Muitos já expressaram receio com relação a crianças abandonadas ou órfãs sendo enviadas para o exterior e, na terça-feira, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) disse que a adoção estrangeira de crianças haitianas deveria ser considerada apenas como último recurso.

A Unicef disse que crianças cujos pais estavam mortos ou desaparecidos, deveriam primeiro se reintegradar a outros membros da família.

O Ministério de Justiça holandês concordou em acelerar a entrada de crianças que já tiveram sua adoção formalizada ou que tenham encontrado pais adotivos, assim como os que ainda não encontraram suas contrapartidas.

Das 106 crianças, 92 serão adotadas por pais holandeses, informou o ministério de relações exteriores em um comunicado, e 14 serão adotadas em Luxemburgo.

No início da semana, os Estados Unidos disseram que concederiam "liberdade condicional humanitária" para casos específicos de crianças que poderiam ser adotadas, o que permitiria que elas entrassem nos EUA para receber a assistência necessária.

(Reportagem de Ben Berkowitz)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG