Inspirados pelo jogo de xadrez, artistas famosos criaram tabuleiros e peças inusitadas que ganharam uma exposição no Museu de Arte de Reykjavík, na Islândia. A exposição 32 peças: a arte do xadrez foi inaugurada esta semana trazendo obras de grandes nomes da arte contemporânea como Damien Hirst, Jake e Dinos Chapman e Rachel Whiteread.

O tabuleiro criado por Hirst explora a obsessão dos humanos pela morte ao reunir frascos de remédio em prata e vidro sobre um tabuleiro espelhado.

Já o italiano Maurizo Cattelan, famoso por sua instalação sobre o papa João Paulo II sendo atingido por um meteorito, criou um tabuleiro com peças que representam "o bem e o mal".

Do lado do mal estão Adolf Hitler e Cruella Cruel (personagem do desenho da Disney Os 101 Dálmatas) opostos por Martin Luther King e madre Teresa de Calcutá, entre outros.

A exposição, em cartaz até abril, comemora a aquisição pelo museu de uma obra de Yoko Ono que exalta o jogo de xadrez.

Leia mais sobre xadrez

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.