Beirute, 26 set (EFE).- O chefe do Hisbolá, xeque Hassan Nasrallah, pediu hoje aos árabes que assumam suas responsabilidades frente ao drama dos palestinos.

"Não se vislumbra uma solução atualmente. Gaza está sitiada e os palestinos estão se matando", afirmou Nasrallah em videoconferência durante uma cerimônia realizada nos bairros do sul de Beirute para comemorar o Dia de Jerusalém ("Al Quds").

Segundo ele, a nação árabe deve fazer tudo o que estiver a seu alcance para suprimir esse cerco. "Isso não é impossível, e sim requer a vontade de todos".

"Se a nação assumir suas responsabilidades, a recuperação de Jerusalém e Palestina não estará distante, de fato poderia acontecer muito em breve", acrescentou.

O clérigo xiita insistiu no fato de que Jerusalém e Palestina pertencem aos palestinos, aos árabes e aos muçulmanos, e que "ninguém tem direito a ceder lugar algum dessa Terra Santa".

"Todos devem fortalecer nossas posições, porque o futuro será testemunha de mais vitórias", acrescentou Nasrallah, em alusão ao fato de que o Hisbolá estima que venceu Israel durante o conflito de 2006.

A maioria dos cerca de 400 mil refugiados palestinos que vivem no Líbano teve de abandonar seus lares após a criação do Estado israelense em 1948, e seu retorno está estipulado na resolução 194 do Conselho de Segurança da ONU.

Nasrallah declarou que a implantação dos palestinos no Líbano é um projeto americano-israelense financiado pelos árabes. "Apoiamos qualquer emenda da Constituição que proíba a naturalização". EFE ks/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.