Hisbolá notifica à ONU condições para seguir as trocas com Israel

Nações Unidas, 23 jul (EFE) - O líder do grupo xiita libanês Hisbolá, xeque Hassan Nasrallah, comunicou à ONU as condições que devem ser cumpridas para poder seguir em frente com as trocas humanitárias com Israel, segundo uma carta do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ao Conselho de Segurança, divulgada hoje.

EFE |

O responsável das Nações Unidas assegura na mensagem que recebeu uma carta de Nasrallah na qual expressa "a disposição de participar da resolução dos casos humanitários de desaparecidos israelenses em combate durante os anos 1980".

O líder xiita condiciona sua colaboração "à natureza e à magnitude das ações humanitárias israelenses em favor de vítimas palestinas e árabes", segundo Ban.

Além disso, Nasrallah adverte de que o "requisito mínimo" é a libertação de um "máximo número" dos "centenas" de "menores, mulheres e idosos retidos em prisões israelenses", assim como de presos com deficiência ou lesões.

O secretário-geral da ONU indica que a carta de Nasrallah, datada de 7 de julho, indica que os casos devem ser resolvidos "agora" para "assegurar o apoio do Hisbolá a outros assuntos humanitários".

Ban elogia na carta ao Conselho a disposição israelense de libertar presos palestinos, assim como a do Hisbolá em contribuir à solução de mais casos humanitários.

"Espero que a próxima libertação de presos promova mais ações humanitárias e peço às duas partes que contribuam com fé a este processo", acrescenta o principal responsável da ONU.

Israel entregou na semana passada cinco presos libaneses e os corpos de 199 milicianos.

Em troca, a milícia libanesa transferiu a Israel os corpos dos soldados Ehud Goldwasser e Eldad Regev, cujo desaparecimento causou o conflito com o grupo, entre julho e agosto de 2006. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG