Hisbolá nega que financie o tráfico de drogas na Europa

Beirute, 12 jan (EFE).- O grupo xiita libanês Hisbolá negou hoje que financie o tráfico de drogas na Europa, como conclui a Promotoria alemã, segundo uma informação publicada pelo semanário alemão Der Spiegel.

EFE |

Conforme a publicação, que chegou ontem às bancas, a Promotoria alemã vinculou ao grupo xiita libanês ao tráfico de cocaína na Europa.

A investigação começou em maio de 2008, depois da Polícia do aeroporto de Frankfurt encontrar na bagagem de quatro libaneses 8,7 milhões de euros em dinheiro.

Por meio de um comunicado, o Hisbolá negou a acusação e classificou o artigo de "difamatório".

O movimento político liderado por Hassan Nasrallah afirmou não ter se surpreendido com as "invenções" da revista, que, segundo eles, publica "há muito tempo rumores e mentiras" para atingir a imagem.

A organização afirma também que a "Der Spiegel" lança "calúnias injustas" contra o Hisbolá para "cobrir os crimes do regime sionista no Líbano e Palestina, e o horror perpetrado contra seu povo".

De acordo com a revista, a Polícia alemã expropriou 500 mil euros em dinheiro encontrado na casa de um dos suspeitos, no estado da Renânia-Palatinado.

Em meio ao dinheiro, foram encontrados também restos de cocaína e as impressões digitais de um criminoso holandês vinculado há anos ao tráfico da droga na Alemanha.

Ainda de acordo com a "Der Spiegel", a alfândega e a Promotoria alemã prenderam em outubro duas pessoas vinculadas com o caso, e as investigações continuam em Beirute.

A Polícia alemã parte do pressuposto que os membros do Hisbolá usam os familiares para transportar de Frankfurt a Beirute grandes quantidades de dinheiro obtidas com a venda da droga na Europa, indica o semanário. EFE ks/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG