Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Hisbolá mostra sua rejeição em iniciar negociações diretas com Israel

BEIRUTE - O grupo xiita libanês Hisbolá mostrou nesta terça-feira sua rejeição em iniciar negociações diretas com Israel, opção que não foi descartada por seu aliado e líder cristão Michel Aoun, que condicionou este diálogo à presença da Síria.

EFE |

 

O ministro do Trabalho libanês, Mohammad Fneish, membro do Hisbolá, afirmou nesta terça-feira que seu grupo considera completamente inaceitável iniciar negociações diretas com Israel.

"As negociações implicam em fazer concessões, e nós não estamos dispostos a renunciar a nossos direitos", disse Fneish à imprensa, após se reunir com o primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora.

Recentemente, Aoun, chefe de um importante grupo cristão aliado do Hisbolá, a principal força da oposição libanesa, declarou que não era contra negociações diretas com Israel, se houvesse a participação da Síria, principal aliado do Hisbolá na região, junto com o Irã.

Saad Hariri, chefe da maioria parlamentar, concordou com a postura do grupo xiita, mas não usou uma linguagem tão categórica.

"Desejamos uma paz justa para o Líbano e a Síria. O interesse nacional não requer que iniciemos negociações diretas com Israel", disse Hariri à imprensa, antes de mostrar seu desejo de que a Síria e Israel "consigam a paz".

Leia mais sobre: Hisbolá

Leia tudo sobre: hisbolá

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG