Hisbolá entrega a Israel relatório sobre piloto desaparecido em 1986

Jerusalém, 12 jul (EFE).- O Governo israelense recebeu este fim de semana o relatório elaborado pelo movimento xiita libanês Hisbolá sobre o piloto Ron Arad, desaparecido no Líbano em 1986, como primeira fase da troca acordada entre ambas as partes no último dia 7.

EFE |

"O relatório foi entregue ao primeiro-ministro (Ehud) Olmert este fim de semana", informa hoje a edição eletrônica do jornal israelense "Yediot Aharonot", que também afirma que o "Hisbolá não tem informações concretas sobre o paradeiro do piloto, mas acredita que ele já não esteja vivo".

Ron Arad teve seu avião derrubado em território libanês em 1986 e foi capturado pela milícia xiita Amal.

A fonte indica que o relatório deve ser estudado agora pelos serviços secretos israelenses, que depois entregarão suas conclusões ao Governo de Israel para que este decida se seguirá adiante com a troca de prisioneiros.

O relatório do Hisbolá sobre o piloto faz parte do acordo entre ambas as partes com a mediação dos serviços secretos alemães e da ONU para a troca dos soldados Ehud Goldwasser e Eldad Regev por quatro presos libaneses que se encontram em território israelense e por mais de uma centena de corpos de milicianos.

Os dois soldados foram capturados pela milícia xiita há dois anos, em uma incursão no território israelense que desencadeou na Segunda Guerra do Líbano.

Naim Qaseem, vice-secretário do Hisbolá, afirmou hoje, dia do segundo aniversário da guerra, que esta foi a pior derrota de Israel em sua história, informou a rádio militar israelense.

"Israel está hoje derrotada e frustrada", afirmou Qassem em um ato público no sul de Beirute, em um bairro que foi duramente bombardeado pela aviação israelense durante a guerra de 2006.

Para o dirigente islamita, o Hisbolá encontrou o calcanhar de Aquiles de Israel, que sempre se nega a libertar prisioneiros a menos que haja uma troca.

Segundo a imprensa local, há a possibilidade de que a troca seja realizada em meados da próxima semana, embora desde o começo o Governo israelense tenha advertido que o relatório deve ser satisfatório.

Fontes diplomáticas citadas pelo jornal israelense declararam que não acreditam que o relatório responda às expectativas de Israel e que o documento "não contém conclusões científicas decisivas sobre o destino do piloto".

Nessas circunstâncias, o Governo do primeiro-ministro israelense terá que resolver se seguirá com a aplicação do acordo ou se volta atrás na decisão.

O jornal não informa se Israel entregou ao Hisbolá um documento com suas próprias conclusões sobre o paradeiro de quatro diplomatas iranianos desaparecidos no Líbano em 1982, que também faz parte da primeira fase da troca estipulada. EFE elb/ab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG