Hisbolá e salafistas assinam acordo para acabar com violência no Líbano

Beirute, 18 ago (EFE).- O grupo xiita Hisbolá e vários grupos sunitas salafistas do Líbano assinaram hoje um acordo de entendimento para acabarem com os confrontos que castigam o país há muito tempo e que envolvem as duas comunidades.

EFE |

A imprensa libanesa informou que o acordo foi assinado em um hotel de Beirute pelo chefe do escritório político do Hisbolá, Ibrahim Amin al-Sayed, e pelo líder salafista Hassan Shahhal, na presença de um importante representante destes grupos em Trípoli, principal cidade do norte do país.

O salafismo é uma corrente fundamentalista do islamismo sunita que prega uma interpretação direta e literal do Corão e dos "hadith" (doutrinas inspiradas na vida e na palavra do profeta Maomé).

O documento, de oito pontos, rejeita as dissensões e provocações, proíbe qualquer agressão entre muçulmanos, estipula a colaboração frente ao projeto de Israel e Estados Unidos e pretende acabar com as acusações baseadas na religião.

Para eliminar as tensões entre xiitas e sunitas, serão criados comitês seculares para controlarem as discussões e disputas.

"A assinatura deste acordo é importante para abrir caminho para a solução dos problemas controvertidos", disse Sayed, que pediu unidade, principalmente entre os muçulmanos.

Shahhal declarou que "este passo corajoso" tem o propósito de "contribuir para a paz civil" e destacou que "todos os salafistas acreditam no diálogo".

A deterioração das relações entre as comunidades chegou a seu momento crítico em maio, quando eclodiram violentos enfrentamentos em várias regiões do país, inclusive em Beirute.

Tal acordo, no entanto, parece não ter alcançado Trípoli, onde hoje mesmo explodiram duas bombas, episódios que não deixaram vítimas. EFE ks/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG