Hisbolá diz que seu desarmamento é inegociável

Beirute, 18 mai (EFE).- O chefe da bancada parlamentar do Hisbolá, Mohamad Raad, afirmou hoje, em Doha, que a oposição não discutirá um possível desarmamento do grupo xiita, embora tenha destacado que a milícia manterá uma postura flexível em relação a qualquer outro tema.

EFE |

Por motivos de segurança, Raad substitui o líder do Hisbulá, Hassan Nasrallah, no encontro que as facções libanesas realizam na capital do Catar para tentar tirar o país da crise que atravessa.

"A resistência (Hisbolá) e suas armas não estão incluídas nas negociações em Doha", declarou Raad à rede de televisão "Al-Manar".

O enviado especial da milícia xiita acrescentou que seu grupo trabalha para manter o programa estabelecido no Hotel Phoenicia, referindo-se ao acordo obtido por uma comissão árabe para que o encontro de Doha foque a formação de um Governo de união nacional e a reforma da lei eleitoral.

"Somos flexíveis (...). Não aumentaremos o limite máximo de nossas reivindicações, mas também não as reduziremos", acrescentou, negando a existência de um acordo final, mas dizendo que havia consenso em vários temas.

Raad também excluiu qualquer acordo que não inclua a formação de um Governo e a reforma da lei eleitoral.

"Desejamos aprovar uma lei eleitoral com artigos claras que sejam aplicados em todas as regiões libanesas. Compreendemos as circunstâncias de alguns (grupos) e mostramos alguma flexibilidade, mas não haverá acordo que favoreça uma das partes", declarou. EFE ks/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG