Hisbolá diz que não deporá armas mesmo que Israel devolva Chebaa

Beirute, 4 set (Efe) - O principal responsável do grupo xiita libanês Hisbolá, Hassan Nasrallah, assegurou hoje que a milícia não deporá as armas, mesmo que Israel se retire das Fazendas de Chebaa, território ocupado pelo Estado judeu em 1967 e reivindicado pelo Líbano. Ainda se as Fazendas de Chebaa forem liberadas, as armas permanecerão para nos defender. Estamos ameaçados por Israel e temos que discutir uma estratégia de defesa nacional, disse Nasrallah em discurso pronunciado após um iftar ou ruptura do jejum ao anoitecer realizada por ocasião do mês muçulmano do Ramadã.

EFE |

Tanto Beirute quanto Damasco afirmam que as Fazendas de Chebaa, situadas entre Líbano, Síria e Israel, são o único território que o Estado judeu não abandonou quando se retirou do sul do Líbano em maio de 2000 após 22 anos de ocupação.

No entanto, tanto Israel quanto a ONU asseguram que esse pequeno espaço de terra é sírio.

"Não monopolizamos a resistência nem impedimos ninguém de participar dela", acrescentou Nasrallah em uma videoconferência, na qual afirmou que não se pode esquecer de que "a decisão de (ir à) guerra ou de (assinar a) paz está nas mãos dos israelenses e dos americanos, e não na das autoridades libaneses ou sírias".

Em referência ao helicóptero do Exército libanês que realizou um pouso forçado na semana passada no qual morreu um oficial em decorrência de disparos de um miliciano do Hisbolá, Nasrallah insistiu em que o ataque não foi premeditado.

"Ninguém deu a ordem para atirar. (A chegada do helicóptero) Pegou os combatentes de surpresa e, por isso, atiraram. Ainda não se sabe se ocorreu quando o helicóptero tinha aterrissado ou ainda estava no ar", destacou.

Finalmente, anunciou de forma oficial o fechamento do arquivo dos prisioneiros libaneses vivos em Israel, mas não o dos desaparecidos ou o dos corpos. EFE ks/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG