Beirute, 2 set (EFE).- O grupo xiita libanês Hisbolá confirmou hoje que um de seus milicianos disparou na quinta-feira passada contra um helicóptero do Exército libanês e causou a morte do capitão das Forças Armadas Samer Hanna, de 26 anos.

Mahmoud Qomati, membro do escritório político do Hisbolá, confirmou a notícia ao jornal "Daily Star", que também informou que o combatente do grupo que disparou contra o aparelho pertence à família Moqaden, tem 20 anos e é membro da unidade de combate especial da organização.

Além disso, o miliciano, que foi entregue pelo Hisbolá a autoridades militares na sexta-feira passada, participou do conflito ocorrido em meados de 2006 entre o grupo xiita e Israel.

A imprensa libanesa também afirmou que, segundo as investigações preliminares, o militante disparou no helicóptero sem comunicar a seus superiores, por achar que estava frente a um aparelho israelense, e depois que o comando do Hisbolá solicitou a seus combatentes que ficassem alertas diante das tentativas de Israel de atacar o Líbano.

Hanna morreu devido aos tiros, enquanto participava de uma missão de treinamento do Exército nas colinas de Sujud, localizadas na região de Iqlim al-Tuffah, considerada um reduto do grupo xiita. EFE ks/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.