Hisbolá acusa EUA de interferir no Líbano

Beirute, 9 jun (EFE).- O grupo xiita libanês Hisbolá acusou hoje os Estados Unidos de interferir de modo flagrante e descarado nas eleições do país, realizadas no domingo e que teve a vitória da coalizão pró-ocidental, segundo um comunicado divulgado hoje pelo partido.

EFE |

"O Hisbolá condena, de modo enérgico, os EUA, que continuam interferindo de modo flagrante e descarado nos assuntos internos do Líbano, especialmente no que se refere ao pleito parlamentar", afirma o grupo.

O partido xiita se refere a declarações, publicadas hoje no periódico árabe editado em Londres "Asharq Al Awsat", de um alto responsável da secretaria de Estado americana, cujo nome não é informado.

Segundo este jornal, o funcionário americano afirmou ontem, em entrevista coletiva, que "o próximo Governo e o papel da minoria nele devem ser decididos pelos libaneses".

Além disso, expressou sua satisfação com o resultado das eleições e afirmou que "tratar com um ministro de Assuntos Exteriores que não fosse do Hisbolá seria melhor".

Para o Hisbolá, "essa é uma tentativa de impor seus pontos de vista (os dos EUA) ao povo libanês", segundo o texto do partido xiita, próximo ao Irã e à Síria.

O Hisbolá considera "injustas e falsas" as opiniões dos EUA de que é um "grupo terrorista".

Os resultados definitivos das eleições deram a vitória à coalizão pró-ocidental Forças de 14 de Março, que obteve 71 cadeiras, frente às 57 obtidas pela aliança pró-síria Forças de 8 de março, em um Parlamento de 128 cadeiras. EFE ks-jrg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG