Beirute, 27 jul (EFE).- O chefe do grupo parlamentar do Hisbolá, Mohamad Raad, acusou hoje a Administração dos Estados Unidos e seus aliados locais e regionais de impedir a formação de um Governo de união nacional no Líbano.

"Os EUA não querem um Governo de união nacional", disse Raad, em cerimônia comemorativa dos mártires da resistência em Klayleh, no sul do país.

Raad reivindica para esse Governo de unidade o slogan "a força do Líbano provém de sua resistência, seu Exército e seu povo".

Para este deputado do partido xiita, os EUA e o bloco pró-ocidental, que venceu as eleições de junho, "deseja a formação de um Governo de um só corte, para impor resoluções em benefício do inimigo sionista".

"Os regimes árabes tomam decisões sem se importar com nossos direitos sobre a soberania de nossas terras, das Fazendas de Chebaa até as colinas de Kfar Chuba, nossas águas e do retorno dos refugiados palestinos a suas casas", afirmou.

Já se passaram cinco semanas desde que Saad Hariri foi designado como primeiro-ministro e, até agora, não foi formado um Executivo.

As exigências das duas partes continuam em conflito, depois da vitória nas eleições parlamentares de 7 de junho das Forças 14 de Março.

O presidente libanês, Michel Suleiman, minimizou a importância do atraso na formação do Governo, já que é a primeira vez que o país está livre de pressões e ingerências estrangeiras.

A oposição, liderada pelo Hisbolá, quer fazer parte do gabinete e ter direito a veto, o que a maioria rejeita. EFE ks/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.