Hillary quer fortalecer agência dos EUA de ajuda ao desenvolvimento

Washington, 23 jan (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou hoje que é essencial que a agência dos Estados Unidos para o desenvolvimento internacional (Usaid, em inglês) seja fortalecida e seus programas adequadamente financiados para recuperar sua liderança.

EFE |

Hillary assegurou aos funcionários da Usaid, subordinada ao Departamento de Estado, que acredita "profundamente no desenvolvimento" e que este é, junto à defesa e à diplomacia, um "membro igualitário" das políticas voltadas a garantir a segurança nacional dos EUA.

Por isso, "é essencial que o papel da Usaid, e o de outros programas de ajuda ao exterior seja fortalecido e adequadamente financiado, assim como coordenado de modo que fique claro que os Estados Unidos entendem e apoiam a ajuda ao desenvolvimento", disse a ex-primeira-dama.

A chefe da diplomacia americana assegurou que trabalhará com a Usaid para fornecer à agência o tipo de liderança e apoio do qual necessita para receber as ferramentas que requer "tão desesperadamente" para poder cumprir e executar as missões.

"Temos que resgatar um pouco de credibilidade para restaurar a autoridade e os recursos destinados a outras coisas", ressaltou a secretária de Estado.

Ela criticou também o fato de o Departamento de Defesa ter "livre acesso" aos fundos do Programa de Comandantes para a Resposta a Emergências para construir escolas, abrir centros de saúde ou pavimentar ruas.

Enquanto isso, "nossos diplomatas e especialistas em desenvolvimento têm que superar obstáculos burocráticos para conseguir US$ 0,10", acrescentou.

Alguns dos funcionários da Usaid se queixaram em várias ocasiões de que, nos últimos anos, a agência perdeu seu papel predominante em boa medida porque a ex-secretária de Estado Condoleezza Rice deixou os trabalhos de reconstrução pós-guerra nas mãos do Departamento de Defesa.

Neste ponto, Hillary pediu a colaboração dos trabalhadores da Usaid para verificar do que a agência precisa para que possa assumir de novo seu "papel de liderança global que merece na distribuição de ajuda ao desenvolvimento".

Apesar da promessa da secretária de Estado de que recuperará a liderança da Usaid, Hillary advertiu de que os fundos serão os justos diante do "difícil" período vivido pela economia americana.

EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG