Hillary quebra tradição para fortalecer laços com Ásia

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, desembarcou nesta segunda-feira em Tóquio, no Japão, em sua primeira viagem oficial ao exterior desde que foi nomeada para o cargo pelo presidente Barack Obama. A escolha da Ásia como destino marca uma quebra com a tradição.

BBC Brasil |

Desde a década de 1960, em suas primeiras viagens oficiais, os predecessores de Hillary no Departamento de Estado viajaram primeiro para a Europa.


Hillary discursa após desembarcar no Japão / AP

Ao desembarcar, Clinton declarou que o relacionamento dos Estados Unidos com a região é indispensável para que se vençam vários desafios globais.

A correspondente da BBC em Washington Kim Ghattas disse que, ao visitar primeiro Tóquio, Hillary está dando indicações ao seu importante aliado na região de que o vínculo com Washington continua forte e deve permanecer assim.

Ela se encontrará com importantes líderes japoneses na terça-feira e deve assinar um acordo para a transferência de tropas americanas da província japonesa de Okinawa para Guam, um território americano no Oceano Pacífico.

Hillary deve também encontrar as famílias de cidadãos japoneses sequestrados pela Coreia do Norte nas décadas de 1970 e 80.

Do Japão, a secretária de Estado americana segue para Indonésia, Coreia do Sul e China - esta última, considerada uma etapa crucial de sua jornada.

O analista da BBC para assuntos diplomáticos Jonathan Marcus lembrou que, durante sua malsucedida campanha pela Presidência, Clinton enfatizou que o relacionamento mais importante de Washington era com a China.

Hillary Clinton descreveu os Estados Unidos como um poder transpacífico e transatlântico, mas a Ásia de maneira geral, e a China em particular, devem receber cada vez mais atenção da diplomacia americana nos próximos anos, prevê Markus.

Um dos motivos disso é que a China e os Estados Unidos mantêm um forte vínculo econômico e estão sendo duramente atingidos pela crise financeira global.

A China é, ao mesmo tempo, a origem de muitos produtos consumidos pelo mercado americano e o credor de boa parte da dívida dos Estados Unidos.

Segurança é mais um tópico importante na pauta de discussões de Hillary Clinton com os chineses.

A suspensão do programa nuclear norte-coreano continua sendo um objetivo central dos Estados Unidos.

Embora o assunto também deva ser discutido com os japoneses, a China é vista como um elemento importante devido à sua influência do país sobre o recluso governo da Coreia do Norte.

Leia mais sobre Hillary Clinton

    Leia tudo sobre: hillary clinton

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG