Hillary que estreitar relações com China para enfrentar crise

Pequim - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, transferiu neste sábado ao chanceler chinês, Yang Jiechi, o interesse do governo Barack Obama de estreitar relações com o país asiático perante desafios como a crise econômica.

EFE |

"Com o início do governo Obama, queremos aprofundar e ampliar nossa relação" com a China, assinalou Hillary durante seu encontro com Yang, como informa a agência oficial de notícias local "Xinhua".

A chefe da diplomacia americana avaliou como sólida a base das relações bilaterais entre China e EUA, mas frisou que "ainda há muito a ser feito".

AP
AP
Hillary na China


Yang, ex-embaixador nos EUA, disse que em seus contatos, Obama e o presidente da China, Hu Jintao, chegaram a "um consenso para promover ainda mais as relações bilaterais".

"Espero estabelecer uma boa relação de trabalho (...) que sirva para promover as trocas e a cooperação entre ambos os países", expressou Yang.

Com essa reunião, Hillary iniciou seus encontros oficiais em Pequim, aonde chegou ontem na última etapa de sua primeira viagem desde que assumiu a chefia da diplomacia americana.

A viagem de Hillary coincide com a divulgação de um comunicado do Ministério da Defesa chinês, que confirma que ambos os países retomarão os intercâmbios militares no final deste mês.

Essas trocas, rompidas por Pequim em outubro, depois que o Pentágono anunciasse a maior venda de armamento a Taiwan - considerada pela China parte de sua soberania -, serão retomadas com a visita à China de David Sedney, segundo assistente do secretário de Defesa dos EUA, em 27 e 28 de fevereiro.

Hillary deve se reunir ainda neste sábado com o presidente Hu Jintao, com o primeiro-ministro Wen Jiabao e com o conselheiro de Estado Dai Bingguo.

Leia mais sobre: Hillary Clinton

    Leia tudo sobre: hillary clinton

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG