Hillary propõe pacote para ajudar setor de defesa nos EUA

VALPARAISO, Estados Unidos (Reuters) - A pré-candidata democrata à Presidência dos EUA, Hillary Clinton, propôs um pacote de medidas no sábado destinadas a manter empregos na indústria da defesa no país. Hillary, senadora por Nova York, disse que a perda de empregos no setor industrial para outros países durante o governo de George W. Bush estava atingindo companhias que servem ao setor militar os EUA.

Reuters |

'Nós não apenas estamos exportando empregos, como também a nossa segurança. Isso tem que parar', afirmou ela em Valparaíso, que perdeu 225 empregos quando a companhia Magnaquench mudou-se para a China há cinco anos.

A empresa fabrica componentes para guiar sistemas de bombas inteligentes. Dois ex-trabalhadores da Magnaquench apareceram com Hillary em um evento em que ela propôs medidas para salvar companhias similares.

'Nós precisamos eleger um presidente neste ano que irá se lembrar da Magnaquench, lembrar a história e a tecnologia', disse ela.

Hillary enfrenta o senador por Illinois, Barack Obama, na disputa pela nomeação democrata para as eleições presidenciais de novembro contra o candidato republicano John McCain.

Ela propôs novas exigências para aumentar o rigor em relação a investimentos estrangeiros em empresas e tecnologias de segurança nacional.

A senadora também prometeu reforçar a 'cláusula de metais especiais' que requer que certos metais importantes usados na indústria da defesa sejam produzidos nos Estados Unidos.

Hillary disse que gastaria 75 milhões de dólares para criar uma força-tarefa em espionagem industrial para investigar e perseguir casos de espionagem e roubo de informação.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG