A secretária de Estado americana Hillary Clinton pediu nesta quarta-feira a paz na região petrolífera do sul da Nigéria, durante sua visita a este país estratégico para os Estados Unidos, além de assinalar a importância da luta contra a corrupção.

Após uma reunião com o colega Ojo Maduekwe, Hillary disse que Washington está disposta a auxiliar Abuja nos seus esforços para trazer a paz ao Delta do Níger (sul), onde os conflitos provocaram a diminuição da produção de petróleo no país.

Nenhuma decisão concreta foi tomada, mas os exércitos dos dois países devem se reunir para "determinar o que poderíamos fazer para ajudar a Nigéria", disse a secretária de Estado.

Em uma conferência de imprensa conjunta com Maduekwe, Hillary Clinton disse que também se encontrou com o ministro nigeriano da Defesa.

Maduekwe manifestou a esperança de que o perdão presidencial oferecido aos grupos armados do delta, que afirmam lutar por uma justa distribuição do petróleo, permita o retorno da paz até o final de dezembro.

Hillary declarou considerar os esforços da Nigéria muito promissores. O presidente Umaru Yar'Adua ofereceu, de 6 de agosto a 4 de outubro, anistia aos militantes que largarem suas armas e interromperem seus ataques contra as infra-estruturas petrolíferas.

Segundo o conselheiro para África da secretária de Estado, Johnny Carson, Washington considera cruciais as relações com a Nigéria, o país africano que mais fornece petróleo aos Estados Unidos.

"A Nigéria é, sem dúvida, o país mais importante da África Subsaariana", disse Carson aos jornalista, no avião que transportava a equipe americana da República Democrática do Congo para Abuja, na terça-feira à noite.

A Nigéria é, para Washington, um país "amigo, aliado e parceiro em muitas áreas", disse Hillary, reconhecendo o papel do país na estabilização de Serra Leoa e Libéria.

A ex-primeira dama americana também manifestou a sua preocupação com a corrupção e sistema político da Nigéria.

A eleição de abril de 2007, onde Umaru Yar'Adua foi eleito, foi marcada por inúmeras irregularidades, de acordo com observadores.

"Nós apoiamos e encorajamos os esforços do governo nigeriano para aumentar a transparência, reduzir a corrupção e apoiar o processo democrático para as eleições de 2011", disse.

Hillary deve participar na parte da tarde de um fórum sobre corrupção, com representantes da sociedade civil e, em seguida, de uma mesa redonda com líderes religiosos.

A população de quase 140 milhões da Nigéria está dividida quase que igualmente entre o norte cristão e o sul muçulmano. Regularmente, conflitos religiosos atingem o país.

Em julho, confrontos entre forças de segurança e islamitas pró-talibã provocaram mais de 800 mortes, de acordo com dados obtidos pela AFP.

Hillary não quis comentar o caso, mas elogiou os esforços para preservar a paz em Abuja.

A visita de Hillary Clinton à Nigéria, é a quinta etapa de sua viagem por sete países africanos.

sct/fb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.