Hillary não pretende se reunir com delegação iraniana em Haia

Washington, 18 mar (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, não tem planos imediatos para se reunir separadamente com a delegação iraniana dentro da conferência internacional sobre o Afeganistão, que acontecerá em 31 de março, em Haia.

EFE |

"Não descarto a possibilidade de que possa haver algum tipo de interação, mas não há planos, pelo menos que eu saiba, de nenhuma reunião entre as duas delegações", disse o porta-voz adjunto do Departamento de Estado americano, Robert Wood, em entrevista coletiva diária.

Em 5 de março, em Bruxelas, a chefe da diplomacia americana propôs a seus colegas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a realização dessa conferência, promovida pela ONU, e disse que esperava que o Irã fosse convidado, como vizinho do Afeganistão.

Essa oferta de Washington foi interpretada como um novo sinal do Governo do presidente americano, Barack Obama, de sua vontade de conseguir um novo entendimento com Teerã, mas, por enquanto, Hillary não planeja um encontro bilateral em Haia.

O porta-voz disse que o objetivo na conferência será delinear "uma política internacional coerente para enfrentar a situação no terreno, não somente no Afeganistão, mas também no Paquistão", onde os EUA e seus aliados lutam contra organizações terroristas, como a Al Qaeda e a insurgência talibã.

Para o Governo americano, a conferência em Haia "é mais que somente EUA e Irã, é sobre o Afeganistão e a situação na região, e é isso no que precisamos nos estabilizar", disse Wood.

O fato de não estar previsto nenhum encontro com a delegação iraniana não significa que os Estados Unidos não queiram se abrir a Teerã, mas tem a ver com o modo de fazer isso e em que momento, disse.

"Estamos no meio de uma revisão de nossa política em relação ao Irã e acho que é importante para nós poder terminá-la", acrescentou o porta-voz.

O vice-presidente para Assuntos Culturais iraniano, Esfandiar Rahim Mashaie, disse em 12 de março, em Ottawa, que Teerã ficará satisfeito de participar de "qualquer" conversa com o Ocidente sobre o Afeganistão, mas disse que seu país não recebeu convite "oficial" para se unir ao evento.

Os Estados Unidos argumentam que não corresponde a Washington enviar um convite formal ao Irã, mas à ONU. EFE cae/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG