Hillary minimiza ausência de Netanyahu em cúpula nuclear

WASHINGTON (Reuters) - A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, negou que os EUA tenham sido pegos de surpresa pela decisão do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, de desistir de comparecer à cúpula sobre segurança nuclear que será promovida pelo presidente Barack Obama. A decisão tomada por Netanyahu na semana passada de cancelar sua viagem prevista para Washington se deu num momento em que as relações bilaterais entre Israel e os Estados Unidos estão tensas devido a questões como as construções de casas israelenses em Jerusalém e na Cisjordânia, objeto de disputa entre Israel e os palestinos.

Reuters |

Contudo, em entrevista ao programa da NBC "Meet the Press" transmitida no domingo, Clinton fez pouco caso de sugestões de que o não comparecimento do líder israelense à cúpula nuclear que terá início na segunda-feira tenha surpreendido Washington ou agravado a relação já tensa.

"Nada disso", disse ela à NBC.

"Essa é uma decisão a ser tomada por um chefe de governo ou chefe de Estado. Gordon Brown não vai vir da Grã-Bretanha. Kevin Rudd não virá da Austrália. O rei Abdullah não virá da Arábia Saudita", disse Clinton. A entrevista foi gravada na sexta-feira.

"É como quando o presidente Obama precisou cancelar sua viagem à Indonésia e Austrália", ela acrescentou, aludindo a uma decisão recente do presidente norte-americano de permanecer em seu país para ajudar a fazer o Congresso aprovar as propostas de reforma da saúde.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG